segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Daniel Blake e porque precisamos da obra de Ken Loach


por Valério Paiva*

Aos 80 anos de idade, Ken Loach poderia estar desfrutando de uma aposentadoria, mas talvez o desmonte do sistema de seguridade social britânico o impediriam de ter tranquilidade na velhice. Essa premissa é apenas uma hipótese se o cineasta de Warwickshire não continuasse trabalhando. E seu trabalho jamais deve servir para justificar os defensores do fim do Estado de bem-estar social na Grã-Bretanha, afinal Ken Loach não precisa de seus filmes para sobreviver. Mas talvez nós precisássemos de sua produção para pensar na hipocrisia de nossa sociedade.

Seu ultimo trabalho, “Eu, Daniel Blake”, é um soco no estômago necessário para muitos de nós passassem a perceber como o capitalismo e seus defensores tratam a população que mais precisa da assistência social que o Estado passou a administrar após mais de um século de lutas dos trabalhadores para conquistar direitos. E está sendo desmontado desde a década de 80 no Reino Unido com a ascensão do governo conservador de Margaret Thatcher, e depois mantida com os trabalhistas.

Daniel Blake, o protagonista, representa não apenas o trabalhador britânico que é vitima do desmonte do aparato estatal montado no pós-guerra. Ele pode ser visto nas ruas do Brasil na sobra da reforma da previdência que o desgoverno de Michel Temer está impondo á população. Acaba sendo uma continuação do processo iniciado em 2003 na reforma previdenciária do governo de Lula, e ambas seguem as premissas da tentativa de FHC que foi barrada em 1998. Saímos do cinema lembrando que Michel Temer é a continuação de todos os governantes que querem transformar todos nós em novos Daniel Blakes.

Todo esse processo joga nas costas do trabalhador a má administração de recursos públicos e a necessidade de garantir condições ultra favoráveis para que os empresários brasileiros garantam o seu lucro. E diferente dos países europeus, o caso brasileiro fica mais macabro ao lembrarmos a universalização dos benefícios da previdência a todos os trabalhadores só foi garantida na Constituição de 1988. Daniel Blake não é vitima de uma mera burocracia, e sim de todo o sistema perverso envolvido no desmonte dos direitos sociais. E como quase toda a obra de Ken Loach, é uma situação universal que dialoga com todos os trabalhadores do mundo.

Ken Loach hoje é sinônimo de cinema político, e talvez “Eu, Daniel Blake” possa ser num futuro próximo considerado sua obra prima. O que é difícil discutir se lembrarmos de que sua obra inclui fantásticas películas que entram em vespeiros extremamente delicados envolvendo o proletariado, como o trabalho das mulheres imigrantes terceirizadas nos Estados Unidos (“Pão e Rosas”), o avanço do fascismo aliado a traição do stalinismo na Guerra Civil Espanhola (“Terra e Liberdade”), ou mesmo a aflição que a sociedade contemporânea trazem aos trabalhadores que acabam conseguindo forças junto aos amigos e na crença em seus ídolos ("À Procura de Eric", que recentemente foi vilipendiado no Brasil por uma comédia obscura onde substitui Éric Cantona por Sidney Magal !!!).

E por isso que Ken Loach é importante para nós. Precisamos mais de seus filmes do que ele deles para sobreviver. Continua corajoso de não fugir de se assumir como um cineasta político a ponto de preparar um spot promocional onde frases do personagem protagonizado pelo comediante Dave Johns são declamadas por pessoas comuns, entre eles Jeremy Corbyn.

Nós somos Daniel Blake.
Nós somos Ken Loach

* Valério Paiva é repórter do Jornal da UNICAMP. 

Assista o Trailer e veja locais de exibição:


sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Falsa promessa: Vídeo mostra prefeito de Santos prometendo "baratear transporte público"


Esta circulando desde ontem (19) nas redes sociais um vídeo divulgado pelo Coletivo Domínio Público de Movimento Estudantil da Baixada Santista, onde é exibido o trecho de uma entrevista com o atual prefeito de Santos, durante a campanha eleitoral na TV Tribuna. Na gravação, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) promete literalmente “baratear o transporte” e democratizar o acesso da população.

O vídeo tem revoltado muitas pessoas, afinal, logo no início do seu segundo mandato, ele aumentou em R$ 60 centavos o preço da tarifa dos ônibus para absurdos R$ 3,85, dificultando ainda mais o acesso a este serviço já tão precário em nossa cidade.

Este aumento foi repudiado pela população nas redes sociais e em vários protestos, sendo inclusive questionado pelo poder judiciário que considerou o aumento imoral e abusivo, determinando um novo valor (R$ 3,45).

O estudante Adilton Junior, um dos coordenadores do coletivo que tem divulgado o vídeo explica que o objetivo é “denunciar as inverdade e mentiras contadas por muitos políticos para se eleger” Adilton também destaca que é fundamental “aproximar mais a população e os estudantes da questão política e da luta por direitos e mobilidade urbana, para que não fiquemos reféns das falsas promessas dos políticos”.

Assista o vídeo onde o prefeito promete baratear o preço do transporte:
https://www.facebook.com/DominioPublicoBS/videos/1732209500138245/

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Internautas denunciam: preço do ônibus continua o mesmo

O Jornal Santista  recebeu denúncias de internautas, informando  que o valor da tarifa de ônibus continuaria o mesmo R$ 3,85, o que pode configurar, inclusive, descumprimento de ordem judicial, afinal, ontem a juíza Patricia Naha, da 2ª Vara da Fazenda Pública de Santos, determinou redução no reajuste, determinando o novo valor de R$ 3,45. Diante das denúncias o Jornal Santista entrou em contato com o gabinete do prefeito.

O gabinete nos informou, por meio de nota que: "A Prefeitura de Santos não foi notificada oficialmente da decisão liminar da Justiça sobre a tarifa de ônibus, até o momento. Após a notificação, a Administração irá cumprir a determinação e recorrer da decisão junto ao Tribunal de Justiça. Portanto, a tarifa determinada de R$ 3,45 será praticada após a notificação e os procedimentos operacionais pela Piracicabana. A Prefeitura dará ampla divulgação assim que a nova tarifa comece a vigorar."

Esta informação nos gera estranheza, pois a notícia foi amplamente divulgada e dada urgência e gravidade já deveria estar sendo cumprida.

Na capital ocorreu um fato que teve grande repercussão na imprensa, quando o governo do estado se recusou a receber, no dia (6), um mandado do Tribunal de Justiça (TJ) suspendendo o aumento na tarifa de integração no transporte, lá em SP o oficial de justiça no presente caso, inclusive registrou em uma certidão essa recusa.


quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Justiça considera abusivo aumento do ônibus em Santos (R$ 3,85) e fixa passagem no valor de R$ 3,45


Imagem do primeiro ato contra aumento da tarifa em Santos. Foto: André Souza

Na decisão se afirma que aumento foi superior à inflação e ocorreu "de forma injustificada, não respeitando (...) o princípio da modicidade das tarifas, nem o da moralidade".
A juíza Patricia Naha, da 2ª Vara da Fazenda Pública de Santos, proferiu decisão que barra o aumento da tarifa de ônibus em Santos. Em sua sentença ela classificou de abusivo o aumento de R$ 60 centavos, determinando que a passagem passe a custar R$ 3,45. A decisão é liminar e a prefeitura informou que recorrerá.

A decisão da juíza se deu em ação ajuizada pela Defensoria Pública, noticiada aqui pelo jornal Santista, e que pedia a suspensão do aumento. De acordo com pedido da defensoria o aumento "traz prejuízos para a população, dificultando o acesso a um serviço essencial e que já é deficitário”.

Na sentença a juíza destacou que o aumento foi abusivo e efetuado "de forma injustificada, não respeitando, em tese, o princípio da modicidade das tarifas, nem o da moralidade" (…)"Isso porque surpreendeu o usuário com o congelamento da tarifa durante o ano de 2016, reajustando-se posteriormente com base em período inclusive anterior à contratação (considerou período de janeiro a abril de 2015, anterior à celebração do termo), com índice acima da inflação".

Luta pela redução da tarifa com protestos e mobilizações continuará



Dois protestos contra aumento da tarifa já ocorreram em Santos, um primeiro no centro da cidade no dia 10, em frente a prefeitura, e um segundo no último sábado, 14, que teve inclusive passeata na avenida da praia e ato de repudio ao aumento, com queima de catraca simbólica em frente ao prédio onde reside o prefeito de Santos.

Para o estudante da Unifesp, Héric Moura, coordenador do Coletivo Domínio Público de Movimento Estudantil da Baixada, "os movimentos que estão na luta contra o aumento devem continuar a mobilização e organização, pois a decisão é liminar (provisória) e estabelece ainda um aumento, mesmo que em valor menor."

Para o estudante a luta é contra o aumento em qualquer valor, pois o transporte é um direito e não uma mercadoria, deste modo as mobilizações devem continuar.

sábado, 14 de janeiro de 2017

"Eu, Daniel Blake" E o retrato da realidade


O cineasta britânico Ken Loach, autor de filmes engajados que abordam conflitos sociais e lutas por direitos, está em cartaz em Santos no cinema do Shopping Miramar, com o filme 'Eu, Daniel Blake", que recebeu Palma de Ouro em Cannes.

O filme retrata a consequência do desmonte da previdência na vida dos trabalhadores e trabalhadoras.
No momento em que vivenciamos um possível desastre na previdência brasileira, imposta pelo governo; este filme nos traz uma excelente reflexão.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Temer é recebido com protesto em Praia Grande


Movimentos de trabalhadores e estudantes protestaram durante a inauguração da escola "Fued Temer", que leva o nome do irmão do presidente, nesta quinta-feira (12 /01)

A impopularidade do governo Temer e o repúdio popular aos seus ataques contra os direitos, desmonte da previdência social, cortes de verbas em áreas essenciais do Estado, como a educação, e a contrarreforma do ensino médio, se mostraram presentes durante a inauguração de escola que leva o nome do irmão de Temer, "Fued Temer", em Praia Grande, litoral de São Paulo.

Dezenas de manifestantes marcaram presença, mesmo com a divulgação "relâmpago" sobre a vinda do presidente, e do forte esquema de segurança, que bloqueou várias quadras nos arredores da solenidade. Servidores do Judiciário Federal carregavam faixa denunciando a contrarreforma da previdência, terceirização entre ou medidas defendidas por Temer.

Os manifestantes também distribuíram um jornal, assinado pela "Frente Sindical Classista da Baixada". No jornal, os argumentos do governo são desmascarados, explicando o real impacto da contrarreforma  na vida dos trabalhadores e trabalhadoras.

Os estudantes  carregavam cartazes, pedindo a saída do presidente Temer e com vários dizeres de protesto, dentre eles, "Temer inimigo da educação", entoando ainda palavras de ordem como: "que contradição, inaugura escola, mas congela a educação".

Para não ter contato com os manifestantes, Temer entrou pelos fundos da escola, enquanto os convidados entraram pela porta da frente.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Defensoria Pública ajuíza ação para suspender o aumento da tarifa de ônibus em Santos


Além dos protestos que já se inciaram em Santos, lutando contra a mercantilização do transporte e pela redução da tarifa, a Defensoria Pública também questiona o aumento, ingressando com ação cautelar para suspender por meio de decisão judicial o aumento da tarifa de ônibus.

"A defensoria argumenta, que o reajuste que elevou para R$ 3,85 a passagem esta 300% acima da inflação do ano passado e não condiz com a realidade econômica da população."


Em matéria publicada no site da Defensoria, os defensores públicos Alexandro Pereira Soares e Fabrício Feres Furlan, destacam que “deve ser observado o art. 151 da Lei Orgânica Municipal, determinando que - o valor da tarifa deve ser condizente com o poder aquisitivo da população” e que o “valor praticado pelo decreto é apenas R$ 0,05 (cinco centavos) menor do que o preço da tarifa de ônibus executivos, também conhecido como seletivos.”

Para defensoria o aumento "traz prejuízos para a população, dificultando o acesso a um serviço essencial e que já é deficitário”. A ação pede a suspensão do aumento da tarifa, até que seja apresentado um estudo técnico que comprove que este reajuste seja condizente com a realidade econômica da população e pede também parecer da Comissão Municipal de Transporte.


O pedido da defensoria ainda não foi apreciado pelo Poder Judiciário.

Com informações da DPESP

Protesto contra o aumento da tarifa em Santos reuniu trabalhadores e estudantes nesta terça-feira,10




Protesto organizado pelo coletivo Domínio Público, Bloco de Esquerda e outras organizações, marcou o início das lutas contra o aumento da tarifa em Santos, que subiu 60 centavos, custando absurdos R$ 3,85. A concentração foi na praça Mauá, onde o grupo se reuniu entoando palavras de ordem, realizando panfletagem e conversas sobre o aumento da tarifa com as pessoas presentes na praça.

Logo em seguida, a manifestação se dirigiu em passeata até terminal de ônibus da cidade, parando o trânsito local e denunciando a mafia dos transportes com discursos e palavras de ordem.

No terminal, os manifestantes realizaram intervenções, denunciando a mercantilização do transporte, em diálogo com os usuários do serviço que esperavam ônibus no local, e que deram total apoio ao protesto. A manifestação se encerrou com reunião plenária na praça dos Andradas onde foi feita uma avaliação e se debateu os próximos passos da luta.


Nova manifestação neste sábado,14, às 16 horas na praça da Independência


Após debate na praça dos Andradas, foi deliberando coletivamente entre os presentes, que os coletivos, militantes e ativistas que organizaram a manifestação desta terça, irão fortalecer o ato contra aumento da tarifa convocado para sábado, 14, às 16 horas, na praça da Independência em Santos.


De acordo com o estudante Héric Moura, um dos coordenadores do coletivo Domínio Público "este primeiro ato foi muito importante e reuniu bastante gente no centro, dialogando com a população, mas não podemos parar por aqui, vamos seguir mobilizados e fortaleceremos o ato que esta sendo convocado nas redes sociais para este sábado.

O ato convocado pelo Facebook para sábado, 14, já tem mais de mil pessoas confirmadas e promete ser uma grande manifestação contra a máfia dos transportes e pela redução da tarifa em Santos. Clique aqui para acessar a página do evento da manifestação.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Aumento no preço dos ônibus gera indignação em Santos


O aumento na passagem de ônibus em Santos, que foi de R$ 3,25 para R$ 3,85, entrou em vigor a partir de domingo (08/01) e gerou insatisfação e indignação entre os usuários. O reajuste representa 18,46% do valor da passagem ultrapassando inclusive a inflação (IPCA, medido pelo IBGE) ficou em 12,06%.

Meme criado por internautas é exemplo da demonstrações de insatisfação nas redes sociais

Pela internet a população tem demonstrado a insatisfação com o aumento. Com a grande quantidade de pessoas críticas e contrárias ao aumento, manifestações estão sendo organizadas. O primeiro protesto contra aumento da tarifa de ônibus em Santos esta sendo convocado para terça-feira (10/01) ás 18h na frente da prefeitura.

O chamamento a população está sendo feito pelo facebook, Clique aqui para acessar a página do evento.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Passagem de ônibus aumentará para R$ 3,85 em Santos a partir de domingo (08/01)



Aumento de R$ 60 centavos tornará o transporte inacessível para grande parte da população

O transporte público, que deveria ser tratado como o direito que é, segue na lógica de mercadoria em Santos, gerando lucro para empresas privadas. Assim, a prefeitura anunciou na noite desta quinta-feira, 5, o aumento no valor das passagens, que passarão dos atuais R$ 3,25 para R$ 3,85, aumento de 60 centavos, a partir da 0 hora de domingo. O reajuste vale também para os serviços de lotação que operam em Santos.

O impacto deste aumento penalizará a grande maioria das famílias de trabalhadores e trabalhadoras da cidade, que já encontram dificuldades em arcar com os custos de transporte convivendo com preços altos em itens de necessidade básica, desemprego, subemprego e salários baixos.

Em junho de 2013 a luta contra o aumento de R$ 20 centavos nas passagens de ônibus na capital, desencadeou uma das maiores ondas de mobilizações em massa e em defesa de direitos da história do Brasil.

O anúncio surpresa e feito em cima da hora pela prefeitura, ocorre por temer e para dificultar a realização de protestos contra esta medida antissocial de aumento das passagens. O fato do aumento ocorrer fora do período letivo também é intencional para desmobilizar juventude e o movimento estudantil.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Incêndio em unidade da Vale Fertilizantes libera fumaça tóxica em Cubatão

Explosão ocorreu por volta das 15 horas em unidade localizada nas margens da Rodovia Cônego Domênico Rangoni 

Na tarde desta quinta-feira, 5, se iniciou um grande incêndio após explosão na área de armazenamento da indústria Vale Fertilizantes. A explosão pôde ser sentida a vários quilômetros de distância e o Polo industrial foi evacuado.

Ás 16 horas a empresa divulgou informação de que a substancia que se incendiou é o Nitrato de Amônio (NH4NO3), gerando uma  forte fumaça tóxica e amarelada, que  ainda pode ser vista de várias cidades da região. A fumaça representa risco para a saúde humana e produz danos ao meio ambiente, fauna e flora. É importante ressaltar que o local do incêndio, além da proximidade com áreas urbanas, é próximo de uma unidade de preservação ambiental da Serra do Mar.

De acordo com informações da Cetesb, a fumaça contendo o Nitrato de Amônio está se deslocando para a região do Vale de Mogi, em sentido oposto a área habitada, mas em direção a região de preservação ambiental. Mas é fundamental que moradores da região acompanhem a atualização das orientações dos órgãos competentes.

Incêndio em industria de Cubatão é o terceiro na região em pouco mais de um ano 


Em abril de 2015 ocorreu a explosão em tanques da Ultracargo em Santos, gerando um  incêndio que demorou 09 dias para ser controlado em tanques com produtos químicos, gerando incalculável dano ambiental.

Já em 14 de janeiro de 2016 ocorreu um explosão em terminal da empresa Localfrio no Guarujá, produzindo uma nuvem tóxica, adoecendo diversas pessoas com registros de 170 casos de atendimento médicos em quatro cidades da região e incalculável dano ambiental.

A Cetesb multou a Localfrio em R$ 10 milhões de reais pelo vazamento de gás no Guarujá e a Ultracargo em R$ 22,5 milhões por danos ambientais e outras implicações do incêndio em Santos.
Multas por si só não resolvem problemas e novos casos podem surgir


Com o incêndio em Cubatão, vemos novamente um caso semelhante ocorrendo na Baixada Santista. O controle social do processo de fiscalização é necessário, pois o lucro não pode estar acima das vidas e do meio ambiente. 

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Incêndio em comunidade deixa centenas de desabrigados na cidade de Santos/SP

Foto de Edmilson Costa/Tribuna

Um incêndio de grandes proporções, que se inciou as 21 horas da terça feira, 03/01, atingiu uma área de 5.000 m², destruindo por volta de duzentas moradias na comunidade "Caminho São Sebastião", localizada na Zona Noroeste de Santos/SP.

De acordo com informações divulgadas pelo Corpo de Bombeiros, além da destruição, sete pessoas foram atendidas no PS da Zona Noroeste, dentre elas vitimas de choques elétricos, crises nervosas e queimaduras. Até o momento não há informação sobre as causas do incêndio.

Moradores desta comunidade perderam praticamente tudo que tinham, precisam de muito apoio, solidariedade e doações. O "Caminho de São Sebastião" é apenas uma das áreas negligenciadas pelo poder público na cidade, que não possui projetos de urbanização e desenvolvimento social destas comunidades, forçadas a existir de forma precária e sujeitas a situações com o terrível incêndio desta terça-feira.

Pessoas que perderam suas moradias, reclamaram também que políticos só aparecem em época de eleições para pedir o voto, mas quando os moradores demandam melhorias e ajuda para a comunidade, o poder público vira as costas.

São centenas de desabrigados que além das doações emergenciais, necessitam de políticas públicas para garantir o direito à moradia.

Foto: Solange Freitas/Tribuna
                                                                    Doações

A Associação Cultural Jose Marti, o Fundo Social de Solidariedade de Santos (FSSS), a Associação de Moradores Pro-Melhoramentos do Jardim Castelo, entre outros locais, estão recebendo doações para as vítimas do incêndio. As famílias necessitam de alimentos, itens de higiene pessoal (pasta, escova dental, shampoo, absorventes), fraldas infantis e de adulto, toalhas, roupas de cama e colchões, roupas e sapatos, inclusive infantis, água potável e leite.

As doações para a Associação Jose Marti podem ser feitas das 14 às 19 horas até sexta-feira 06/01 na rua Joaquim Távora, 217. Para o FSSS durante todos os dias, durante 24h, na sede do Fundo Social, que fica na Av. Conselheiro Nébias, 388. Outros postos também foram disponibilizados no Aquário (Praça Luiz La Scala s/nº) e no Orquidário (Praça Washington s/nº, José Menino). Quem quiser doar, mas não tem condições de entregar na sede do Fundo, basta ligar no 3222-8050 para agendar a retirada em domicílio.