Carregando...

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Juiz é feito refém e dá voz de prisão para policiais

Tinha tudo para ser um final de tarde normal no centro de Santos. Transito caótico, prostitutas desfilando seus diminutos trajes, camelôs abordando transeuntes para vender quinquilharias e gente estressada querendo voltar logo pra casa. 
Esquina onde o juiz foi rendido pelos bandidos por volta das 17h

Só que o juiz Arlindo Barreto de Mendonça, 53, não imaginava que por causa dele uma confusão atípica se instalaria por todo o bairro. 

Leonardo Barros, 28 o "Leozinho Sem Cérebro" e Dante da Silva, o "Gonorréia" 26 abordaram munidos de facas o juiz Arlindo na esquina da rua Riachuelo com a João Pessoa. Segundo um amigo dos meliantes, que não quis se identificar, eles estudaram a rotina e sabiam quem era a vítima.

Juiz Arlindo, que segue em poder dos bandidos
O juiz foi conduzido discretamente até uma residência de sua propriedade onde os bandidos levaram vários aparelhos eletrônicos e eletrodomésticos, mas o inusitado aconteceu depois.

Os bandidos levaram o juiz de volta para o centro da cidade, ao tomarem conhecimento que em seu escritório ele guardava 30 mil reais em espécie. Com sua astúcia, o magistrado conseguiu acionar a polícia, que cercou o edifício e passou a negociar diretamente com Leozinho sem Cérebro.

Assim que a polícia subiu no andar do escritório, os bandidos obrigaram o juiz a dar voz de prisão para cada um dos policiais, que foram algemados e levados para a delegacia por outros policiais. Então os bandidos caminharam para fora do prédio, onde obrigaram Arlindo a dar voz de prisão aleatoriamente para as pessoas na rua. Em poucos instantes o caminho estava deserto e os três se evadiram. Não se sabe seu atual paradeiro.