This is default featured slide 1 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.

This is default featured slide 2 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.

This is default featured slide 3 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.

This is default featured slide 4 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.

This is default featured slide 5 title

Go to Blogger edit html and find these sentences.Now replace these sentences with your own descriptions.

'Dia do Skate' é novo feriado municipal em Santos

Em homenagem aos 2 anos de morte de Chorão, icônico vocalista da banda Charlie Brown Jr., o dia 6 de março foi reservado para o novo feriado municipal: o "Dia do Skate". Na data, as ciclovias da cidade – recentemente expandidas ao longo dos canais 4 e 5 poderão ser usadas somente por pessoas com skates e longboards.


Cartaz anunciando a data/Reprodução
Para incentivar ainda mais a adesão da data pela população santista, a Guarda Municipal só utilizará longboards para se locomover pela orla da praia.


"Depois de quase 2 anos de batalha, conseguimos o merecido reconhecimento deste esporte tão presente na cidade. Mesmo que por um dia, os santistas se sentirão motivados a praticar o esporte e inclusive utilizá-lo como meio de transporte sem se preocupar com bicicletas, que muitas vezes alcançam maiores velocidades em solos planos", disse o Presidente da Associação dos Skatistas de Santos, Rodrigo Leite.

Santista gasta R$250 mil para ficar parecido com Minions

Aficionado pela série de filmes "Meu Malvado Favorito", o santista Carlos Dias afirma já ter gastado aproximadamente R$250 mil para ficar parecido com os famosos “Minions”, os divertidos personagens amarelos da animação da Universal Studios.

O motivo, segundo ele, é se tornar popular. “Desde a adolescência tenho muita dificuldade em me relacionar com as pessoas, e foi nessa mesma época que começaram a aparecer os sintomas da calvície. Fiz a pintura porque, além de querer ser popular ao menos uma vez na vida, também quero aproveitar essa falha do meu corpo e transformá-la em algo que vá divertir as crianças e até adolescentes que são fãs dos Minions”, explica.
Reprodução/instagram.com

Apesar de ter bons objetivos, Dias teve que desembolsar uma grande quantia para o processo: cerca de R$240 mil entre viagens, hospedagem, procedimentos médicos e até um intérprete. 
“Fiz uma imensa pesquisa pela internet para encontrar algum médico no mundo disposto a me operar, não queria me tatuar e sentir dor por todo o corpo. Quando cheguei perto de desistir, encontrei um médico russo na Deep Web (parte da web não acessível aos usuários comuns) que era especialista em uma técnica chamada Brushderm, onde um determinado produto é injetado na pele para alteração de cor do paciente”.

Mesmo fazendo uso de procedimentos estéticos não aceitos na maior parte do mundo, o santista afirma que o médico, conhecido apenas pela sigla R.R.M.D., também se surpreendeu com o pedido: “ele disse que está acostumado a transformar pessoas de uma etnia para outra, inclusive afirmou ter pacientes famosos, mas é a primeira vez que faz o procedimento para uma cor tão incomum”.

Os outros R$10 mil foram gastos com roupas dos Minions, lentes Circle Lenses específicas e óculos de grau no modelo igual ao dos personagens – todos esses produtos ainda aguardando liberação da Receita Federal Brasileira.

Gangue de Trigêmeos e Psiquiatra dão golpe em Santos

O verão santista é propício para os solteiros. A cidade repleta de jovens ávidos por conhecer alguém clicando no coraçãozinho do Tinder, as baladas com suas músicas altas que te impedem de ouvir e se decepcionar com as conversas vazias dos seus alvos.

É nesse clima que Letícia Farias, 23, pensou que tinha encontrado o amor de sua vida, um homem que se identificou como Marcos, supostamente de 28 anos. "Nos conhecemos há um mês em um bar no canal 4, ele era engraçado e conversamos muito, passei meu Whats e continuamos a sair juntos".

Após ficar com o rapaz por uma semana, coisas estranhas aconteceram. "Eu estava falando com ele no banco da praia, ele se levantava, saia e segundos depois aparecia com outra roupa. Questionava ele e ele dizia que não tinha trocado de roupa".

Nos dias seguintes, enquanto estava andando com Marcos, Letícia via um "clone" do rapaz passando de ônibus ou de carro e a encarando. "O cúmulo foi o dia que três Marcos pararam na minha frente e falavam comigo ao mesmo tempo, com voz sincronizada e agiam como se só um deles estivesse ali".

A situação envolveu até a família de Letícia: "Eu estava no cinema com o Marcos e depois ele me deixou em casa porque ia trabalhar. Ao entrar em minha casa, outro Marcos estava lá, falando com meus pais e pedindo uma pizza. Fiquei assustada, saí de casa e liguei para uma amiga que disse que viria me buscar, mas quando ela chegou, estava em um carro dirigido por outro Marcos!", conta assustada.

Dr. Daniel Moras disse que estava apenas
"testando a lucidez" de Letícia.
"Tentei avisar minha amiga, mas o Marcos fez a cabeça dela, eles sugeriram que eu procurasse um psiquiatra e ele me indicou o Dr. Daniel Moraes."

O Dr. Daniel por sua vez era parte do golpe. Letícia relata que nunca revelou o nome de Marcos, mas que o médico vacilou ao perguntar "Se ela sabia o nome inteiro do Marcos". Desconfiada, Letícia procurou a polícia e o psiquiatra confessou que queria apenas testar os limites da sanidade humana.

No dia seguinte, porém, o médico havia desaparecido e os trigêmeos também não foram encontrados. 

Juiz é feito refém e dá voz de prisão para policiais

Tinha tudo para ser um final de tarde normal no centro de Santos. Transito caótico, prostitutas desfilando seus diminutos trajes, camelôs abordando transeuntes para vender quinquilharias e gente estressada querendo voltar logo pra casa. 
Esquina onde o juiz foi rendido pelos bandidos por volta das 17h

Só que o juiz Arlindo Barreto de Mendonça, 53, não imaginava que por causa dele uma confusão atípica se instalaria por todo o bairro. 

Leonardo Barros, 28 o "Leozinho Sem Cérebro" e Dante da Silva, o "Gonorréia" 26 abordaram munidos de facas o juiz Arlindo na esquina da rua Riachuelo com a João Pessoa. Segundo um amigo dos meliantes, que não quis se identificar, eles estudaram a rotina e sabiam quem era a vítima.

Juiz Arlindo, que segue em poder dos bandidos
O juiz foi conduzido discretamente até uma residência de sua propriedade onde os bandidos levaram vários aparelhos eletrônicos e eletrodomésticos, mas o inusitado aconteceu depois.

Os bandidos levaram o juiz de volta para o centro da cidade, ao tomarem conhecimento que em seu escritório ele guardava 30 mil reais em espécie. Com sua astúcia, o magistrado conseguiu acionar a polícia, que cercou o edifício e passou a negociar diretamente com Leozinho sem Cérebro.

Assim que a polícia subiu no andar do escritório, os bandidos obrigaram o juiz a dar voz de prisão para cada um dos policiais, que foram algemados e levados para a delegacia por outros policiais. Então os bandidos caminharam para fora do prédio, onde obrigaram Arlindo a dar voz de prisão aleatoriamente para as pessoas na rua. Em poucos instantes o caminho estava deserto e os três se evadiram. Não se sabe seu atual paradeiro.

Aplicativo para "flanelinhas" acessa informações de carros estacionados

O criador do app, Zheng He está
animado: "o Brasil é lindo e lucrativo"
Está gerando polêmica a criação do Chinês Zheng He, um aplicativo para Android e IOs que permite ao "flanelinha", alcunha dada aos guardadores de carro, saber informações sobre os carros estacionados.

Ao instalar o Parking Spot, o interessado cadastrará a rua em que atua e a cada carro estacionado, deverá tirar uma foto da placa, que será lida pelo smartphone, em seguida deve assinalar se o motorista pagou para ter seu carro guardado, opcionalmente podendo informar se a taxa foi realizada na ida ou na volta.

De acordo com o desenvolvedor do Parking Spot, cada carro terá seu histórico, mostrando se costuma pagar para estacionar. Também é possível saber se o veículo é licenciado, se o IPVA está em dia e, se o motorista falar seu nome, dá também para obter a validade da sua CNH.

Zheng He recusa o termo flanelinha: "Estamos falando de Empreendedores de Segurança Automotiva Temporária (ESAT), todos os ESATs terão seu cadastro em nosso servidor e aqueles que assinarem a versão Premium terão vantagens como videoaulas para induzir motoristas a se tornarem bons pagadores".

Versão 1.09 do App que é direcionado ao público brasileiro
Outra polêmica é que a versão Premium promete informações sobre os pontos mais vulneráveis de cada veículo: "É apenas para tornar a abordagem mais convincente, não somos a favor da violência", diz o chinês.